Em foco

Conselho Europeu de Inovação financia 108 projetos em 210 milhões de euros e dois são portugueses

Entre as várias candidaturas, nesta última ronda o conselho que ainda está em fase piloto selecionou soluções da C2C-NewCap e da Nano4Global. As candidaturas para a próxima fase terminam já em outubro.

Data: 20.09.2019

Conselho Europeu de Inovação financia 108 projetos em 210 milhões de euros e dois são portugueses

O Conselho Europeu de Inovação (EIC, na sigla inglesa) selecionou recentemente 108 projetos que se destacam por serem inovadores, com um financiamento total de 210 milhões de euros. Entre os vencedores desta última ronda estão duas empresas portuguesas, a C2C-NewCap e a Nano4Global, que vão receber entre 500 mil a três milhões de euros para "financiar as atividades inovadoras e integrar-se no mercado de forma mais rápida".


Fundada em 2014, a C2C-NewCap oferece soluções de armazenamento de energia elétrica. E porque razão esta empresa foi selecionada? Graças a um novo dispositivo de armazenamento de energia elétrica para uma mobilidade sustentável. Já a Nano4Global, uma startup lançada em 2015 que recorre à nanotecnologia para comercializar diagnósticos moleculares mereceu destaque pelo seu projeto relacionado com uma solução de nanodiagnóstico rápido e acessível.


Nesta ronda, foram ainda selecionados projetos que incluem uma plataforma de simulação para neurocirurgia, uma pedra reciclável para bancadas da cozinha, uma tecnologia que reproduz o processo de chuva para fornecer água potável sustentável. Um sistema que permite mapear a qualidade do ar com alta resolução espacial é outro dos exemplos.


Os projetos agora selecionados são apoiados pelos programas EIC Accelerator e o Fast Track to Innovation do EIC. Atualmente na sua fase piloto, o Conselho Europeu de Inovação estará a funcionar plenamente a partir de 2021 e até 2020 vai distribuir três biliões de euros através dos seus vários programas.


Cada uma das empresas que recebe financiamento através do EIC oferece uma solução para um problema que afeta o dia-a-dia dos europeus, seja na área da saúde, meio ambiente ou energia, por exemplo. E já nas rondas anteriores as portuguesas i2S e a Signinum tinham sido selecionadas pelo Conselho para receber financiamento, desta vez para projetos aplicados a seguros e à conservação de monumentos, respetivamente. Os próximos prazos para candidaturas para o EIC Accelerator e o Fast Track to Innovation são respetivamente a 9 e 22 de outubro deste ano.


Fonte: Sapo Tek



Voltar