Em foco

Facebook parcialmente inacessível, Instagram volta a estar acessível

Esta foi uma das falhas mais longas da história recente do Facebook: durou cerca de 12 horas.

Data: 14.03.2019

Facebook parcialmente inacessível, Instagram volta a estar acessível

O Instagram já voltou a estar operacional, depois de ter estado parcialmente inacessível ao longo da tarde e noite de quarta-feira. O Facebook, afectado pela mesma falha, está ainda indisponível para alguns utilizadores em todo o mundo.


As duas redes sociais estiveram, na quarta-feira, inacessíveis ou com várias das suas funcionalidades indisponíveis para inúmeros utilizadores em grande parte da Europa e da América do Norte, bem como em algumas áreas do Brasil e Sudeste Asiático. De acordo com sites independentes de monitorização do acesso à rede, a falha foi sentida desde as 16h (hora de Portugal continental).


Alguns utilizadores registaram ainda problemas com outras aplicações associadas ao Facebook, como o Whatsapp, naquela que foi uma das falhas mais longas da história recente da empresa: durou cerca de 12 horas.


A notícia de que o Instagram voltou a estar operacional foi dada pela própria empresa através do Twitter. “Eeeee…. Estamos de volta”, lia-se na mensagem, que vinha acompanhada por um GIF de Oprah Winfrey.


O Facebook, pelo contrário, mantém o silêncio. Um porta-voz do Facebook confirmou à Reuters a falha parcial, mas não forneceu ainda nenhuma actualização. No Twitter, o Facebook afirmou apenas que estava a trabalhar para resolver o problema o mais depressa possível e negou que se tivesse tratado de um ataque.


Desconhecem-se para já as causas da falha, que não é inédita. Em 2015, mas por breves minutos, o Facebook esteve totalmente indisponível em todo o mundo. 


A falha desta quarta-feira aconteceu um dia depois de vários produtos do Google terem também registado dificuldades, nomeadamente o Gmail, o Google Drive e o Google Maps. Não há no entanto qualquer informação de que os problemas do Google e do Facebook estejam relacionados.


Fonte: Público



Voltar